.
Biografia  (continuação)
.
.

Curiosidades:

● Cavalinho de jogo de xadrez

Foi em 1983, passeando com o pai numa praia na Lagoa da Conceição, em Florianópolis, que acharam a peça de xadrez preta. O pai apanhou o cavalinho e entregou a Robert dizendo-lhe que aquele cavalinho lhe traria muita sorte. Por pura superstição, Robert leva este cavalinho consigo para todos os campeonatos.

● Correntinha

Outra de suas manias é a correntinha com o crucifixo que sempre usa. Uma vez, durante a Olimpíada de Atlanta (1996), a corrente quebrou e, para não arriscar ficar azarado, o técnico Cláudio Biekarck, emendou a corrente com fio dental. E não é que ele ganhou a medalha de ouro? Mais tarde, Robert perdeu a corrente e o crucifixo na piscina da academia enquanto nadava. Os pais compraram outra em Florença e até levaram à uma catedral onde foi banhado em água benta.

● Leme

Das vezes em que teve algum azar, sempre aprendeu alguma lição. Certa vez, velejando de laser em Ilhabela, seu leme quebrou. Não havia ninguém por perto para ajudá-lo. Longe da praia e sem leme, não havia jeito de voltar. Improvisou, com amarrações, um jeito de prendê-lo. Em casa, o pai pegou a peça quebrada e escreveu "... e se perder o leme, nunca perca o rumo". Este leme fica pendurado no quarto da casa de Ilhabela como lembrete, para não desistir de seus objetivos.

 
voltar     próxima